Seleção da década de 00′s: Santos

por Cássio Barco*

O Santos adentrou esta década com o modesto título, dado pela FIFA, de Melhor Time das Américas no Século XX. Barbada, claro. Não podia inaugurar este século de outra forma, senão sendo um dos melhores times da década. Teve acidentes de percurso no finalzinho, graças ao prolongamento de uma verdadeira monarquia, mas com o esquadrão alvinegro que vamos montar agora, veremos que a equipe sai bem adiantada na briga pelo bicampeonato do século. Década é coisa pequena para o Peixe.

Ao contrário de alguns outros clubes, onde jornalista briga para achar jogador para colocar na equipe, no Santos vai nos doer no coração tirar algumas peças deste ‘cenário perfeito’. Eu fui bem covarde e não assumi a bronca sozinho. Pedi ajuda para a torcida, representada pelos ouvintes da Rádio Santista. Em um exercício de interatividade bem divertido, tivemos cerca de 60 seleções. O resultado, o resumão, com 100% do meu aval, é esse aqui:

Goleiro

A fera da Vila. A muralha. Também conhecido como Fábio Costa, ou o dono do CT Rei Pelé. Ele tem o que um goleiro precisa ter: elasticidade, estrela e problemas mentais. Teve na final do Brasileirão de 2002 a melhor atuação individual de um arqueiro que eu já assisti. Alucinado, babando e suando sangue. Foi assim que conquistou a torcida santista. O cara é ídolo ao ponto de ter ido jogar no maior rival, mostrar o dedo do meio para a torcida do Santos, voltar, ganhar dois Campeonatos Paulistas e ter seu nome gritado em coro mais algumas vezes. Sempre chamou a responsabilidade quando necessário, independente do tamanho do jogo ou da competição.

Laterais

Na esquerda, Leonardo Lourenço Bastos. Enquanto Fábio Costa fazia o papel do coração, Léo exerceu a função de pulmão do time que tirou o Santos de uma fila histórica de 18 anos sem um título importante. Sempre deu declarações apaixonadas, criou identificação absurda com a torcida e jogou muita bola. Voava pela ponta, tabelando e marcando gols. Do outro lado, um homem de características diferentes. Não teve tanta identificação com a torcida, não ficou tanto tempo na Vila, mas, em 2004, fez a melhor temporada de um lateral-direito na década e, provavelmente, a melhor temporada de sua carreira: Paulo César. Impossível esquecer cada lançamento de trás do meio de campo, ou cruzamento de três quartos do campo. Fez seu nome sem precisar ir à linha de fundo e foi Campeão Brasileiro. Merece nosso respeito.

Zaga

Júlio Manzur, o companheiro da torre

O primeiro é fácil. Para a minha surpresa, foi tão unânime quanto Fábio Costa e Robinho (sim já adiantei mas é a maior barbada da lista também). Alex, a Torre Gêmea. Saiu da várzea, com seus chutaços ignorantes, força e técnica descomunais, e cabeçada assassina, para a história do clube como um dos maiores zagueiros que vimos jogar. Outro que se declara santista sempre que pode, jogando nos Blues da terra da Rainha, onde não teve o sucesso que esperávamos que fosse ter. O seu gêmeo de 2002, André Luís, foi bem lembrado mas ficou de fora para um dos nomes mais impressionantes da lista, mas que já estava no meu time original: Júlio Manzur, o paraguaio. Campeão Paulista de 2006, defendeu sua seleção na Copa. Jogou seis meses geniais na Vila. Mas foi coisa de Baresi e Beckenbauer mesmo. Marcou seus gols e virou lenda. Lembro de um amigo que cantava a bola toda vez que tinha cruzamento na área: “Vai ser gol do Manzur de cabeça”. Acertou algumas vezes.

Volantes

Aqui o negócio começa a ficar muito difícil. Armei meu Santos da década no 4-4-2 com dois meias atacantes. Deu até vontade de “Dungar” e meter mais um volante para não cometer injustiça, mas vocês verão que nos meias a coisa fica mais feia ainda. Aqui, para fazer muito bem o papel de cabeça de área, entra o segundo estrangeiro da lista: Maldonado. Chegou quando vivíamos carentes de um volante raçudo e com técnica. Se você não tem mais-que-fresco-na-memória aqueles dois carrinhos dentro da área contra o Palmeiras e aquela tirada em cima da linha contra o São Paulo (e não preciso nem especificar os campeonatos), você não é santista, amigo, desculpe. Do lado do Maldonado, entra um jogador que fez de tudo um pouco na Vila Belmiro. Nos seus primeiros anos, era mais xingado que o André Belezinha, lembra? Mas foi aos poucos se encaixando no elenco e virando peça fundamental. Nos impressionou demais com uma das maiores reviravoltas da história do Santos. De pereba a jogador essencial. Tô falando do Elano. E não preciso falar mais dele.

Meias

Aqui a coisa esquenta. Para ter uma noção, vão ficar de fora nomes como Zé Roberto e a recente revelação Paulo Henrique Ganso. Não chorem. O que vem por aí é melhor. O que talvez vá espantar a maior parte dos santistas é que não vou dar a camisa 10 para Diego. Ele está no time, claro, foi um dos principais rostos de uma geração e é dono de um futebol admirável. Mas é agora que aparece a escolha mais apaixonada desta lista. O cara que tirou a camisa 10 de Diego, que não ganhou um título sequer pelo clube, mas tem grande espaço reservado no coração de todo santista que se preze. Mais que um atleta: um Messias, que não atende por um nome, e sim por uma sigla: G10. Tudo bem, a sua passagem histórica foi em 95. Mas além de voltar dez anos depois e, aos 33 anos, comandar uma das vitórias mais lindas da década sobre o eterno rival, teve gestos históricos. O chute para as arquibancadas na saída de bola do jogo “anulado que voltou” é um exemplo do que Giovanni é capaz. De lavar a nossa alma, over and over again. É camisa 10, capitão e KINGSIZE da seleção.

Atacantes

Disputa aqui, só pela camisa nove. O sete já estava definido antes até da votação começar. Desfilando, pedalando, socando o ar e humilhando, Robinho é o maior craque da Seleção. Incontestável. Por cada lágrima de emoção e motivo de orgulho que nos ofereceu. Por todos as segundas-feiras de zoação aos corinthianos que nos proporcionou. Por fazer o Santos ser aplaudido de pé até por adversários na Libertadores. O moleque é a cara do Santos. E o Santos é a cara do moleque. Vai voltar, nem que seja com 40 anos para a Vila, para encerrar a carreira, e ainda vamos o ver como o “garoto Robinho”. Teve um episódio triste em sua saída, mal orientado, mas isso tudo já está perdoado e superado. Já o centroavante foi uma das escolhas mais difíceis, admito. O Alberto de 2002 foi brilhante, jogou como menino, fez gol de bicicleta e de letra. Tem o Kléber Pereira também. Hoje tem rejeição absurda na Vila Belmiro, fama de cachaceiro, é chamado de mercenário, mas é um dos maiores artilheiros da história do clube e nos salvou de um rebaixamento. Contudo, o escolhido é mais um herói. É o segundo melhor gago do time, logo atrás do Giovanni, e tem o nome de grafia mais apurada da seleção: Deivid. Teria ultrapassado o Kléber Pereira fácil, não fossem os 23 MILHÕES de gols anulados injustamente no ano em que fizeram de absolutamente tudo para não deixar o Santos ser campeão. Assim como Fábio Costa, esteve na Vila no começo da década, foi jogar no maior rival e voltou. Melhor do que saiu! E levantou a taça! É o nosso titular.


Técnico

Aqui temos a posição mais pobre de opções. Até porque, foram praticamente dois únicos treinadores que ficaram alternando no comando do Santos durante a década. Leão ou Luxa? Leão ganhou o título mais importante e mais bonito, Luxa o mais heróico, junto com dois paulistas. Pelo produto geral. Vamos de “pojeto”, vamos de “pofessô”. Teve duas manchas. A tentativa de transformação do Santos em filial do Iraty nunca foi explicada e nem perdoada pela torcida. Seu final melancólico agora em 2009 também foi bem desgastante. Porém, vamos ficar com as flores, com os títulos e amores.

Seleção

Fábio Costa, Paulo César, Alex, Manzur e Léo; Maldonado, Elano, Diego e Giovanni; Robinho e Deivid. Técnico: Vanderlei Luxemburgo

Agora, me desculpem os editores do Yougol e os leitores, mas vou trapacear na cara dura. Não dá para deixar de mencionar alguns ídolos. Montei um banco, que ainda extrapola o limite, para este time: Felipe (goleiro), André Luís, Maurinho, Kléber, Renato, Rodrigo Souto, Zé Roberto, Kléber Pereira e Basílio.

* Cássio Barco é jornalista, santista e narrador da Rádio Santista, não necessariamente nesta ordem.

About these ads
Esse post foi publicado em seleção da década e marcado , . Guardar link permanente.

24 respostas para Seleção da década de 00′s: Santos

  1. Barco disse:

    Valeu, Zobaran!

    Esse blog é o kingsize do futebol brasileiro!

    ahahaha

    abraços

  2. Eu discordo um pouco da seleção.
    Mas é sem argumentos mesmo, não tem como você conseguir tornar seu time unânime com tantos destaques que tivemos nessa década. Por exemplo, o Ricardinho, pelo que jogou em 2004, cabe no banco, pelo menos.
    A minha é: Fábio Costa; Paulo César, Manzur, Alex e Léo (idêntica, sim); Maldonado, Renato, Elano e Diego (Giovanni de fora pelo quesito 2002-2004, quando Elano arrebentou e Renato, antes de sair, foi gênio); Robinho e Deivid (Ricardo Oliveira, pela Libertadores 2003, merece um banco também).

  3. zobaran disse:

    Mas o banco é um invenção neo-liberal do Cássio. Ninguém merece banco em seleção da década…

  4. rafael botafoguense disse:

    confesso que abri um sorriso sacana com o giovanni de 95 heeheh…

    mas essa década pro santos foi fodona,acho que só fica atrás do são paulo e do inter,imagino o sofrimento dos peixistas em não ter o brasileirão(carimbado pela cbf),já que todos nós sabemos que a taça brasil é brasileiro.

    garrincha é melhor que pelé.

  5. zobaran disse:

    Rafael,

    Como assim não tem o Brasileiro?

  6. Raphael Zarko disse:

    rafael botafoguense provando que a vida dele parou em 95, quando ele tinha 3 anos de idade.

    mas agora, o barco tá querendo me derrubar. ou acha que nao percebi a alfinetada (ta na moda agora…) na primeira frase… se eu coloquei o henrique na seleção, q ninguem sabe quem é, vc colocou um tal de julio mans(z)ur q deve ser tao conhecido qto o dudar, zagueiraço argentino do vasco. e outra: esse paulo cezar acho q é o pc do flu, ne?
    mas, sério, nao tiraria o renato desse time, ele joga mt. por sinal, rodrigo souto foi banco na década do santos e num dos piores times do vasco de todos os tempos.

    temos coisas em comum, além do fato do rei ser mais vascaíno q santista, o q é irrelevante, eu sei…

    enfim, barco, valeu! ficou muito legal.

    e nao vou fazer nenhum trocadilho com seu sobrenome, por mais que o king size seja o cara das barcas…

    abração!

  7. rafael botafoguense disse:

    zobaran,ué até 2002 o santos não tinha brasileiro considerado pela cbf.

    zarko,eu não lembro de nada daquela época,mas tem youtube porra,eu sei que o giovanni era o fodão e pintou o cabelo de vermelho na final…hahaha

  8. Raphael Zarko disse:

    e o brasileiro de 2004, o vasco, generoso que é, lutando sempre pelos fracos e oprimidos, deu de bandeja para o peixe. de bacalhau para peixe.

  9. Barco disse:

    Zarko, sorry, mas futebol sem provocação inexiste! Mas como um companheiro falou bem, tirando os bambis, os colorados e nós, ninguém tem muito o que escolher para escalar não.. hahaha

    O PC é o do Fluminense sim, fez a melhor temporada dele no Brasil com a camisa do Santos. Mesma coisa o Souto, que deixou o futebolzinho merréca no Vasco e no Figueira e resolveu jogar de verdade na Vila Belmiro.

    Pro Rafael Botafoguense, carimbado temos só dois brasileiros, não carimbados são oito. E se o mundo fosse justo e Deus existisse, os de 95 e 83 também eram nossos.

  10. zobaran disse:

    Barco,

    Deus existe e atende pelo nome de Túlio Maravilha…

    …mas bom mesmo é seu braço direito, São Sebastião Waaaaaaaaaaaaaaaaaagner!

  11. hehe boa, Cássio! Sua seleção tá 9,5 , se fosse eu faria uma revolução no futebol e passariamos a ter 13 jogadores titulares (Renato e Zé Roberto nã podem ficar de fora). Mas, com esse time aí o Barça era presa fácil HAHA.
    E zobaran, pô, ter como Deus Túlio Maravilha, fala sério, vc é botafoguense ou vilanovense (sei lá como escreve)?!?

    abraço!

  12. Raphael Zarko disse:

    barco, provocação ainda é a segunda melhor coisa de futebol. a primeira é nascer vascaíno. e sobre o rodrigo souto, foi sacanagem minha. o nosso cazuza jogava muito bem já no vasco.

    abs

  13. Fred disse:

    Lá vem o santista colocar olho grande no titulo de 83!

    Se não me engano o Maldonado é o primeiro a figurar em mais de uma seleção, né? E se tiver uma do cruzeiro, pode dar a camisa pra ele tb!

  14. Raphael Zarko disse:

    de cabeça agora ja lembro q o pet ta na do fla e do vasco.

  15. Raphael Zarko disse:

    por sinal, se eu fosse um cara escroto, diria q o único título brasileiro do flamengo incontestável (seja por arbitragem, por boa vontade dos adversários e assim vai) é o de 92…

  16. Barco disse:

    No Santos, o Pet estaria na seleção dos piores. Mas isso é porque ele ia para os jogos de calça jeans. Aí fica difícil mesmo..

  17. Fred disse:

    Ah tira o de 92 tb! a torcida caiu… tinha que ter repetido o jogo…

  18. rafael botafoguense disse:

    ”ih caiu na geral..ô balancê,balancê…”

    pow,barco para de acreditar no que a miltonfezespress diz,em 95 houve 4 erros nas 2 finais,2 pra cada lado.

    em 83 eu concordo…hahahahah

  19. Pingback: O Outro Lado da Notícia » Seleção da década de 00’s: Santos

  20. Yuri disse:

    só quem parou o Flamengo foi o Corinthians.

    ganharam em 1980, 1982, 1983, mas até que não passaram pelo Timão em 1984, único time que parou o Fla, causando uma chaga na fétida asa urubulina, irrecuperável até 1992.

    diga-se… perderam em 1984 com gols de BIRO-BIRO, ATALIBA E EDSON BOARO (mais conhecido como Edson Abobrão) isso é que é ser goleado com estilo.

    prova cabal do trauma foi a derrocta pro Brasil de Peloctas em 1985.

  21. Zandor disse:

    Fabio Costa , Elano, André Luiz, Alex e Leo, Renato, Giovanni, Diego e Zé Roberto, Robinho e Ricardo Oliveira ou Deivid……Técnico Leão.

  22. rafael botafoguense disse:

    “só quem parou o Flamengo foi o Corinthians.

    ganharam em 1980, 1982, 1983, mas até que não passaram pelo Timão em 1984, único time que parou o Fla”

    POW YURI,E O MENDONÇA RABISCANDO O JÚNIOR EM 81??????????????????????

  23. Raul Junior disse:

    Deixar o Renato de fora é piada… O cara faz um brasileiro de 2002 inteirinho, jogando como volante sem receber nenhum cartão amarelo, faz o segundo gol do primeiro jogo da final. Faz o único gol santista, naquele fatídico 2 a 1 pro corinthians em 2001, joga com elegância e talento e fica de fora? Só se vc for doido…
    Gostei de ter lembrado do Manzur, um zagueiro que jogou muita bola no Santos, tanto que em 2005, o Santos com Manzur e Luiz Alberto mesmo ficando em décimo lugar, teve a zaga menos vazada do brasileirão. Mas aí chegou Dom Luxemburgo e dispensou Manzur, Luiz Alberto, Giovanni, Luizão, com aquela fala de custo x benefício pra trazer Adaílton, Rodrigo Tabata e outras crias dele…
    Por fim acho que o Maurinho foi melhor que o Paulo César na lateral direita, mas aí é questão de gosto.

    Agora a pergunta final… O que o Giovanni está fazendo aí ??? Década de 90 indiscutivelmente, mas na década de 00 não dá né meu filho, oh saudosismo danado…

    Meio campo da década de 00 tem que ser Renato, Elano, Diego e Zé Roberto e pronto!

  24. Felipe Noronha disse:

    “Felipe”. Hahahha, hoje a gente ri.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s