No tempo de Valdir Bigode…

por Raphael Zarko

25 de janeiro de 1992. Há quase duas décadas o Vasco entrava em campo contra o São Paulo, famoso freguês de decisões e humilhações do caderninho portuga. O torneio era a Copa São Paulo de Futebol Júnior, o sistema de disputa era bem diferente, com seis em cada grupo, dois classificados. 
 
Aquele time de 1992 era outra coisa, tinha cara de Vasco. Cara e bigode, do verdadeiro último romântico do futebol, o artilheiro Valdir, uma espécie de Herivelto (da Dalva) das categorias de base de São Januário. Era outro tempo, com certeza.
Além do jogador mais original e carismático, que preconceituosamente a imprensa flapressiana ajudou a tachar de porteiro para baixo, o Expressinho tinha Caetano, um goleiro meio vesgo, mas que sempre foi melhor do que o reserva de Carlos Germano (o Márcio, frangueiraço, que ajudou o Palmeiras a nos eliminar em 1999 nas quartas da Libertadores…). Tínhamos uma zaga de botar medo, com Alex, outro que era meio vesgo, tinha um nariz meio estranho, mas era um animal, que dava conta do recado, e Tinho, que não era vesgo e hoje é famoso por organizar os times vascaínos que disputam o Showbol. Aaaah, já esquecia do Pimentel, que jogou demais uma época.

Januário Ídolo de Oliveira dizia: "Pimentel nos olhos dos outros é refresco". Hernandes logo atrás.

 
No meio, Leandro, que mais tarde “ganharia” o sobrenome Ávila, era o cabeça de área irrepreensível daquele time. No mesmo ano, ele seria titular do time campeão invicto carioca, no torneio que teve clássicos em São Januário, despedida do Dinamite e show do Edmundo. Anos mais tarde, também entraria na seleção da década do Flamengo aqui no Yougol
 
Na reserva, quase sempre na reserva, o primo de Tino Marcos. Hein? Isso mesmo, os vascaínos lembram. Pedro Renato, um pontinha muito bom, habilidoso, estilo Mauricinho, mas que ferrou o joelho e depois caiu muito, passou pelo América e sumiu de vez. No ataque, além do Bigode, o índio louco, Hernandes. Dois anos mais tarde, num dos meus primeiros Vasco x Flamengo, essa dupla (Valdir e Hernandes) detonaria o Fla, num 3 a 1 da campanha do tri inédito carioca.

Valdir: "Eu sou a lenda"

Enfim, isso não era um time, era puro folclore. Até porque Jardel estava no banco. E agora o que sou obrigado a ver. Ou melhor, tive que ouvir a janelinha “vibrando” com os gols da maldita internet e do irritante Tempo Real, que anunciava que a base desarranjada do Vasco perdia para o Paulista (o Paulista!). Mas também que se exploda. Que a Copinha vá para o inferno!
OBS: só para constar, pelo São Paulo jogavam os famosos Catê, Doriva e Mona (tinha que ter uma, né). Adivinha quem perdeu o pênalti que deu o título ao Vasco? Pois é, um típicuzinho precursor de Rycharlison.
About these ads
Esse post foi publicado em Casaca! e marcado , , . Guardar link permanente.

25 respostas para No tempo de Valdir Bigode…

  1. Rafael J. disse:

    Hahahahah com certeza! Aquele time era folclore puro.
    Só a história do Fusca do Bigode já vale o título.

    E, eu tinha um ódio mortal do Alex. Todo santo jogo contra o Fra ele cometia um pênalti no Sávio. PQP

    Mas o que me motivou a comentar nem tem tanta ligação com esse time, mas com um personagem citado no post. Que me lembrou um causo ocorrido comigo.
    Há alguns(bota aí uns 7 ou 8) anos atrás, eu tava com uma namorada no Shopping Grande Rio – aquele mesmo perto do VIA SHOW – daí ela viu um daqueles quiosques que vendem espetinhos de frutas cobertos com chocolates. Acho que era Showcolate o nome da parada. Ok.
    Daí as atendentes estavam ocupadas e um cara alto pra caralho que, pela roupa(sem uniforme), parecia o dono veio me atender. Mano, quando olhei pra fuça dele, algo no meu cerébro deu um twist carpado e mandei sem pensar: “Cara vc é o Márcio do Vasco???????”. Aí ele, meio que olhando pro chão(possivelmente procurando um buraco pra enfiar a cara) respondeu baixo e entredentes “Eeerrr, sou.”
    Aí não aguentei. Tive uma crise de riso que nada me fazia parar de rir. Ele deve ter até cuspido no chocolate e eu nem vi.

    Nunca mais esquecerei dessa cena. foi um dos auges de minha vida.

  2. rafael botafoguense disse:

    hahahahahahhaha completamente foda o texto e a história acima hahahaha…

    ontem eu vi alguém falando do time do vasco de 92,que ganhou a copinha e depois foi tri em 94,no profissa,ai aparece o texto aqui no dia seguinte hahah…

    foi eliminado? HHAAAAAAAAAAAAHAHAAHAH(só pra num passar batido).

    “Que a Copinha vá para o inferno!”

    discordo dessa parte.

  3. Raphael Zarko disse:

    saudades até dessa camisa da coca-cola. era maneiríssima! e tadinho do márcio, deve ser gente boa pelo menos. se não me engano, ele está trabalhando nas divisões de base do vasco hoje em dia.

  4. Thiago Ferreira dos Santos disse:

    Zarko, vc esqueceu de citar o Vitor, que na epóca era considerado o craque do time. Me recordo que logo depois ele se machucou e desapareceu completamente sem nunca subir aos profissionais. Há 18 anos tento descobrir que fim levou o habilidoso meia Vitor mas nunca consegui encontrar essa informação.

  5. Raphael Zarko disse:

    eu vi esse vitor na escalação, pensei que pudesse conhecer, mas confesso que nao to lembrando… é a mesma geração do yan, gian, que no ano seguinte, junto com jardel e bruno carvalho, conquistaria o campeonato mundial sub alguma coisa contra gana.
    porra, só dava vasco!

  6. Thiago Ferreira dos Santos disse:

    Achei um vídeo sensacional no youtube. É a reportagem sobre o jogo Vasco e Corinthians, na COPA SP de 1993. Me lembro como se fosse ontem desse jogo, Vasco foi roubado absurdamente, de uma maneira assustadora. Foi muito marcante pra mim com meus 8,9 anos.

    E o Vitor aparece no vídeo por sinal, narração do Cleber Machado, imperdível!

    Prestem atenção em algo que me revoltou muito no dia do jogo. Existe toda uma discussão se a bola entrou no que seria o segundo gol do vasco ou não e um FATO ÓBVIO É COMPLETAMENTE IGNORADO, o yan cruzou a bola para um jogador que estava atrás de linha da bola! Me lembro de chorar de raiva pq nenhum comentarista nem fazia menção a isso!

    Outro lance memoravel tá no minuto 3:45. No dia me revoltei demais com a marcação da falta (?!?!!?) mas olhando com calma hoje vejo que o jogador do Vasco estava impedido.

    E olha o penalti RIDICULO que o Vitor bateu, puta que pariu! Depois disso que ele sumiu!

  7. Raphael Zarko disse:

    manda o link ae!

  8. Thiago Ferreira dos Santos disse:

  9. Claudio RK disse:

    Não lembro de ver esta equipe do Vasco jogar, mas os nomes eram realmente bons (do Márcio eu guardo grandes lembranças). Batia fácil em qualquer equipe dos últimos anos do torneio.

    (mas fala a verdade, Raphael: esse texto já tava pront odesde antes de o torneio começar, só esperando o time cair fora, não é?)

    E o Paulista também já tem um título da Copinha. Melhor que vários times grandes por aí…

  10. Raphael Zarko disse:

    mas não estava mesmo. escrevi esta m….. acho que em 10 minutos, mesmo período que devorei um pacotinho de cream cracker, li todas as notinhas da netvasco, busquei lá dentro as fotos do post e o youtubinho e também anotei os resultados do time na copinha desse ano. aliás, de tão rápido que escrevi, esqueci de colocar a campanha. ei-la: vasco 4 x 0 portuguesa; bahia 3 x 0 vasco (sempre o bahêa!); vasco 2 x atlético-mg; nacional-sp 1 x 1 vasco (sempre o nacional de vocês!); são paulo 1 x 1 vasco; quartas: vasco 3 x 1 ponte; semi: vasco 2 x santa tereza-mg; final: vasco 1 x 1 são paulo (gol do valdir, artilheiro da copinha).

  11. zobaran disse:

    Genial o vídeo do Thiago. Boas lembranças.

    Mas, Zarko, não é Hernandes, é Hernane, correto? É o presidiário. Jogou no Botafogo após a prisão. Corri pra daná.

    Nessa época o Vasco emprestava o time todo para o Olaria. Lembro que esse Pedro Renato brincou por lá. Jogava bola o guri.

    Já o Caetano foi protagonista do maior jogo que eu já vi: Vasco 4 x 4 um time do interior de São Paulo que eu não me lembro. Era um campeonato caça níquel com jogo lá e cá e transmissão da Band. Depois de todo mundo bater pênalti, o Caetano bateu e fez. Nunca tinha viso um goleiro fazer gol na minha vida. Foi marcante. Anos mais tard, ele ficaria marcado por um gol de falta que tomou do Marcelinho. Ficou parado com a mão estendida e a bola passou do lado. Patético.

    Mas, peraí, falar mal do Catê…Catê, o Categoria. Grande craque do Sampdoria!!! Imortal.

  12. rafael botafoguense disse:

    ver o flamengo eliminado pelo time do ZICO(hahaahahahahaah),a torcida gritando “eliminado” e o time demonstrando total ausência de brio e mística(teu nome é botafogo)e,de fato sendo eliminado(hahaahahahahaah [2]).ainda de quebra o jogador do CFZ sem saber o que dizer na entrevista e soltando um “caralho”,é absurdamente incrível.

    a copinha entra de vez no meu coração(botafogo não vá perder).

  13. Raphael Zarko disse:

    isso, era hernane mesmo então. fui influenciado pelo atual craque são-paulinho (esse joga muito mesmo!).

    e eu podia jurar que o flamengo seria eliminado, tava na cara que ia copiar o vasco…

  14. Thiago Ferreira do Santos disse:

    Dudu, esse jogo do Caetano foi contra o Mogi-Mirim. Na verdade era mata-mata, o Vasco ganhou de 4 a 0 em São Janu e chegando em Mogi das Cruzes tomou de 4. O jogo foi pros penaltis e o nosso ilustre Caetano foi heróico.

  15. Yuri disse:

    Mogi das Cruzes???????????????????????????? (infinitas interrogações)

  16. Yuri disse:

    coitado do União Mogi, por falar nisso

    na A-3 de 2009 conseguiu a honrosa campanha de UM EMPATE E DEZENOVE DERROTAS, algo nunca dantes visto por este ser que vos escreve

  17. zobaran disse:

    Isso isso isso

  18. Raphael Zarko disse:

    só agora consegui ver o youtube. algumas observações: 1 – como o caetano tava agarrando! 2 – cléber machado em dois tempos: “jardel, seis gols na copa sp, seis de cabeça”; “ele prova que também é bom com os pés”; 3 – nem assim consegui lembrar desse vitor; 4 – o jardel é tão cabeçudo que ele fez uma jogada típica de nba, chutou na tabela e completou de cabeça. sensacional!; 5 – um absurdo anularem o gol do yan/valdir; 6 – não sei se alguém lembra, mas o acácio tinha feito gol de pênalti contra o flu e depois pegou um do ricardo cruz, mas isso tem bastante tempo, deve ter sido lá para 86, 87. oooooh, memória! mas ficou marcado mesmo

  19. Claudio RK disse:

    Peraí, a volta do Torneio João Havelange foi em Mogi-Mirim mesmo, não Mogi das Cruzes, creio.

    (e ainda tem Mogi-Guaçu, pra confundir os não paulistas).

  20. Yuri disse:

    que vídeo muito loko esse vasco x corinthians

    corinthians copero y peleador, jogando duro, torcida hostilizando, goleiro defendendo pênalti (não houve invasão!!) e juiz ladrão. muito foda. parece até libertadores no defensores del chaco. sensacional.

  21. Yuri disse:

    essa história do Rafael Jota foi sensacional… “foi um dos auges de minha vida”… hahahahahaha

  22. Thiago Ferreira do Santos disse:

    Não sei pq eu escrevi Mogi das Cruzes, já fui em Mogi Mirim, porra. Enfim, garoteei…

  23. Fred disse:

    O melhor é o Leo Batista:
    - Agora o Bigode vai ter que aderir ao estilo Playboy! heehahea
    o cara ganha 20mil dólares e sai de Kadett, pode até pagar de playboy mas o espirito não sai da portaria!

  24. zobaran disse:

    Kadettão naquela época era nervoso, abriu um mercado que seria explorado pelo Golf.

    Mas eu prefiro o Fusca.

  25. Rogério disse:

    por onde andas aquele jogador chamado; Hernandes q jogou no vasco entre 92 e 94 +ou-…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s